quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Vlog em LIBRAS =p


Olá pessoa, hoje a postagem vai ser um pouco diferente!
Poucos sabem, mas hoje, 26 de setembro, se comemora o dia nacional dos surdos, por isso resolvi homenageá-los fazendo um vlog em LIBRAS, no qual conto um pouco da minha história com essa língua tão fascinante, espero que vocês gostem =D

Para assistir o vídeo recomendo que tirem o áudio, estou sem o Premiere para editar vídeos, e meu Movie Maker está dando problemas, no Youtube só tem como adicionar som, e não tirar, por isso, deixem no mudo para não se irritarem com os latidos do meu cachorro ;) Quem for ouvinte e não souber LIBRAS ative as legendas do Youtube:



Além do vídeo, eu gostaria de esclarecer alguns esteriótipos e mitos que existem sobre os surdos em nosso país:

1° Os surdos não são mudos, não é certo chamá-los de "mudinhos", eles apenas não desenvolvem fala por não ouvir, mas alguns que tem tratamento com fonoaudiólogo desde crianças conseguem oralizar e se comunicar normalmente através da leitura labial. Mas o tratamento para conseguir a oralização é muito sofrido, e muitas vezes não tem sucesso.

2° LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais, é a língua utilizada pelos surdos para se comunicar, os sinais que eles utilizam não são mímica, sua língua e complexa e cheia de regras assim como qualquer outra. Inclusive ela é reconhecida como sendo uma língua no Brasil, que de acordo com a lei é um pais que possuí duas línguas: português e LIBRAS.

3° A comunidade surda não gosta que seus membros sejam chamados de "deficientes auditivos", mas sim de "surdos", muitos consideram que a surdez não é uma deficiência, pois, sem a audição e munido da língua de sinais ou oralização o surdo consegue levar uma vida normal. É como, por exemplo, uma pessoa que não possuí carro, ela então passa a utilizar o ônibus, tem mais dificuldades para chegar ao local desejado (dependendo da cidade), mas consegue chegar mesmo assim, e isso é o mesmo que acontece com o surdo, mas suas dificuldades são geradas pela sociedade ouvinte que não se adapta a eles, esperando sua "normalização" através da oralização. Eles vivem em nosso país como se fossem estrangeiros que falam outra língua.

Bom, existem muitos outros pontos importantes a se destacar, mas não posso escrever algo mais complexo porque estou na fase de conclusão do TCC, que inclusive aborda a surdez, então até a próxima ;)

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve


Karina, 26 anos, cambeense, historiadora e intérprete de LIBRAS, viciada em internet, redes sociais, séries e joguinhos, estou aprendendo a ser mulherzinha depois de anos sem autoestima e vaidade, e criei esse espaço para falar um pouco sobre todas essas Karinisses!

Siga no Instagram

Snapchat

Snapchat

Seguidores

Arquivos do Blog

Pin It button on image hover