quinta-feira, 25 de julho de 2013

TCC



Hoje eu vou falar de um assunto que aterroriza a vida de muita gente: TCC (trabalho de conclusão de curso).
Ano passado terminei a faculdade de História, mas desde o primeiro ano sofria pressão psicológica de professores e amigos sobre o bendito TCC, todos faziam muito drama em cima dele, falando que seria difícil, que era bom me preparar com bastante antecedência e blá blá blá. Então, quando cheguei no 3° ano da faculdade comecei a produzir o bendito, e nem era todo esse drama que fazem, nem era difícil de fazer, entretanto, o grande problema que vejo é que é muuuuuuuuuuito chato de redigir, as normas da ABNT que são aplicadas em todo o trabalho são um pé no saco.
Mas enfim, eu sobrevivi a ele, li bastante, escrevi, passei pela banca e no final parece que tinha tirado um elefante das costas, ganhei minha alforria da UEL \o/, contudo, eu fui escolher uma profissão complicada: professora, e descobri que precisaria de pós-graduação para subir na pontuação e ser chamada para trabalhar, eu não queria estudar novamente de jeito nenhum, mas não teve jeito, daí descobri que havia uma pós em LIBRAS em Londrina, e fiquei feliz, sou apaixonada pela língua, estudo desde os 16 anos, e seria uma oportunidade de conseguir o bendito certificado de pós sem sofrer, maaaaaas, eu não contava que também haveria um TCC na pós, e essa foi minha reação:


E agora veio um pouquinho mais agravado, pois, é uma única orientadora para toda turma, estou tendo apenas 4 meses para fazer, não conto com biblioteca, e as regras para faze-lo se tornaram mais chatas, tenho que por referência em cada parágrafo, então é tipo parafrasear inúmeros autores e fazer a referência no final, um porre, não tenho quase liberdade nenhuma, é como fazer um super fichamento.
Enfim, esse foi um post desabado, no qual quero deixar uma promessa para mim mesma: ano que vem não vou estudar em instituição nenhuma, nada que tenha que fazer trabalhos com regras da ABNT e afins. Apenas lerei o que for necessário para dar aula (se conseguir trabalhar como professora) e coisas que gosto. 

2 comentários:

  1. A pesquisa devia ser algo interessante. Tanta gente com potencial de pesquisador perde o tesão por causa disso. E tanto mané que simplesmente tem saco pra encher linguiça tá lá, "produzindo".

    ResponderExcluir
  2. É, me revolta muito isso, tem que ser doutor para poder ter voz, não ficar parafraseando texto dos outros, que ridículo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve


Karina, 26 anos, cambeense, historiadora e intérprete de LIBRAS, viciada em internet, redes sociais, séries e joguinhos, estou aprendendo a ser mulherzinha depois de anos sem autoestima e vaidade, e criei esse espaço para falar um pouco sobre todas essas Karinisses!

Siga no Instagram

Snapchat

Snapchat

Seguidores

Arquivos do Blog

Pin It button on image hover